Chumbada no Parlamento a abolição das portagens na A24 e A25 (atualizada) - Edição Jornal
25459
post-template-default,single,single-post,postid-25459,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Chumbada no Parlamento a abolição das portagens na A24 e A25 (atualizada)

Chumbada no Parlamento a abolição das portagens na A24 e A25 (atualizada)

Foi chumbada na Assembleia da República a abolição das portagens na A24 e A25

Na votação ao final da manhã, nesta sexta-feira, a abolição das portagens nas autoestradas que atravessam o distrito de Viseu, foi chumbada com votos contra do PS e a abstenção do PSD e CDS.

A abolição das portagens em autoestradas do norte e centro, entre as quais A24 e A25, as duas que atravessam o distrito de Viseu, subiram a plenário na Assembleia da República por inicitiva do PCP, Bloco de Esquerda e o Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), que apresentaram projetos de resolução onde recomendavam ao Governo a abolição das portagens nas duas autoestradas da região.
Consideravam que a A25, que liga Aveiro a Vilar Formoso, “agravou as dificuldades sociais e económicas das populações” já penalizadas pela crise e pelos custos da interioridade” e que as alternativas existentes duplicam o tempo de viagem.

Quanto à A24, lembraram que serve o interior do país, ligando a Beira Alta a Trás-os-Montes, e que os cerca de 160 quilómetros entre Viseu e Chaves, demoram a percorrer cerca de uma hora e 45 minutos pela A24 enquanto pelas estradas nacionais a distância é maior e o tempo de viagem mais do que duplica.

Todos os partidos de esquerda defendem que as portagens nestas autoestradas são penalizadoras para as suas populações, já que, habitualmente, as alternativas implicam distâncias maiores e viagens mais demoradas.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****