Edição Jornal | Centro Hospitalar Tondela-Viseu vai deixar de receber doentes oncológicos
19551
post-template-default,single,single-post,postid-19551,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Centro Hospitalar Tondela-Viseu vai deixar de receber doentes oncológicos

Centro Hospitalar Tondela-Viseu vai deixar de receber doentes oncológicos

A Ordem dos Médicos diz que o Centro Hospitalar Tondela-Viseu vai deixar de receber novos doentes oncológicos a partir de 15 junho, situação que classifica de “enorme gravidade”.

O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, diz ter a informação que a partir de junho o hospital vai deixar de receber os novos doentes oncológicos considerando que um hospital da dimensão do São Teotónio, em Viseu, não poder tratar novos doentes oncológicos “é uma situação gravíssima”.

Carlos Cortes que esteve reunido com os diretores de serviços, de unidades e coordenadores do hospital, na sequência da suspensão de funções em protesto contra a “degradação progressiva de vários serviços” na unidade de saúde… diz agora que os clínicos tomaram uma decisão de “enorme coragem, e de grande responsabilidade” considerando que “o caminho que estava a ser tomado pelo hospital” nada “tem a ver com opções clínicas e de defesa da qualidade dos cuidados de saúde e dos doentes”.

Deu como exemplo, a situação da oncologia médica, que diz ser “um serviço esquecido” no Hospital de Viseu e reafirmou que, a partir de junho, haverá apenas dois médicos, e que os espaços para o tratamento dos doentes oncológicos “são extremamente reduzidos, sem condições” para os receber.

Sobre este caso, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, considerou que as ameaças de demissões no Centro Hospitalar de Tondela-Viseu são “um grito de alerta” ao Governo pelo desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde, enquanto o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, também já comentou, afirmando que a situação será resolvida a breve prazo.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou emwww.968.fm