Direção do Lusitano condiciona demissão aos apoios ao clube por parte da câmara de Viseu - Edição Jornal
32956
post-template-default,single,single-post,postid-32956,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Direção do Lusitano condiciona demissão aos apoios ao clube por parte da câmara de Viseu

Direção do Lusitano condiciona demissão aos apoios ao clube por parte da câmara de Viseu

Os órgãos sociais do Lusitano de Vildemoinhos continuam demissionários mas vão continuar em funções até 8 de outubro, data de uma nova Assembleia-Geral extraordinária no clube trambelo.

A decisão foi tomada após uma reunião magna de sócios do Lusitano onde a ordem de trabalhos tinha como ponto único debater o pedido de demissão apresentado por todos os orgãos sociais do clube, ainda na sequência do diferendo com o pelouro do desporto na Câmara Municipal de Viseu. Em causa estão declarações da vereadora Cristina Brasete, quando questionada sobre as queixas dos dirigente do clube a propósito do mau estado do relvado do Estádio dos Trambelos, que acusou os dirigentes do Lusitano de Vildemoinhos de canalizarem para outras despesas as verbas destinadas à manutenção da relva.

Declarações da responsável pelo pelouro do desporto que não caíram bem junto do presidente do clube, António Loureiro, que as considerou “caluniosas”, exigindo uma retratação pública de Cristina Brasete, que não aconteceu. A decisão passou pela demissão, pedido que continua em cima da mesa, agora com data limite de 8 de outubro. Até lá, dizem os dirigentes do Lusitano em comunicado, “se não existirem apoios camarários suficientes” a demissão será “irrevogável” com efeitos imediatos a partir dessa data.

Foto: facebook Lusitano Futebol Clube

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****