Greve dos enfermeiros adiou 140 cirurgias no Hospital de Viseu na primeira semana - Edição Jornal
25614
post-template-default,single,single-post,postid-25614,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

Greve dos enfermeiros adiou 140 cirurgias no Hospital de Viseu na primeira semana

Greve dos enfermeiros adiou 140 cirurgias no Hospital de Viseu na primeira semana

A greve dos enfermeiros em blocos operatórios, que decorre desde 31 de janeiro, obrigou ao adiamento de 56% das 4.782 cirurgias previstas na primeira semana da paralisação.

Os números são do Ministério da Saúde, atualizados até 8 de fevereiro, e apontam para a necessidade de adiamento de 2.657 cirurgias nos blocos operatórios nos sete centros hospitalares onde os enfermeiros cumprem a greve cirúrgica.

O maior número de cirurgias adiadas foi no Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto. Quanto ao Centro Hospitalar de Tondela e Viseu, segundo o Ministério da Saúde, foram adiadas 140 das 332 cirurgias previstas

A requisição civil foi entretanto decretada pelo Governo para os centros hospitalares onde o Ministério da saúde considera que não estão a ser cumpridos serviços mínimos, e um dos centros hospitalares abrangidos foi o Tondela-Viseu, onde foram requisitados 30 enfermeiros para o turno da manhã.

A primeira “greve cirúrgica” decorreu em blocos operatórios de cinco centros hospitalares entre 22 de novembro e 31 de dezembro de 2018, tendo levado ao adiamento de mais de 7.500 cirurgias.

Segundo os sindicatos, na base desta greve estão temas como o descongelamento das progressões na carreira e o aumento do salário base dos enfermeiros.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****