Hospitais CUF suspendem convenção com a ADSE - Edição Jornal
25616
post-template-default,single,single-post,postid-25616,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Hospitais CUF suspendem convenção com a ADSE

Hospitais CUF suspendem convenção com a ADSE

O grupo José de Mello Saúde, proprietário dos hospitais CUF, formalizou a suspensão da convenção para prestação e cuidados de saúde aos beneficiários da ADSE em toda a rede CUF.

De acordo com uma nota interna da José Mello Saúde (JML), assinada pelo presidente Salvador Mello divulgada pelo jornal Expresso, a suspensão da convenção com a ADSE tem efeitos a partir do dia 12 de abril., e poderá evoluir para uma denúncia definitiva da convenção.

Na nota é especificado que todos os atos médicos que venham a ser marcados, desde 11 de fevereiro para data posterior a 12 de abril, deixarão de poder ser realizados ao abrigo do regime convencionado, e apenas as marcações existentes ou com data de realização até essa data serão asseguradas normalmente. As exceções serão os tratamentos prolongados e os partos marcados para pós 12 de Abril que serão também assegurados com normalidade.

A partir dessa data, os beneficiários da ADSE deixam de ter as regalias previstas e os preços serão, diz a José de Mello Saúde, “reajustados”.

Esta suspensão vem na sequência de desacordo entre a ADSE e os grupos privados de prestação de cuidados médicos, introduzidas em 2014, ao nível das regras da convenção que os grupos privados consideram serem prejudiciais, além das queixas dos operadores sobre a tabela de preços em vigor, inalterados nos últimos 20 anos, e os prazos de pagamento da ADSE que, dizem, já ultrapassam os 280 dias desde a prestação do ato clínico ao utente.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****