Portugal é o país que mais arde na zona do Mediterrâneo - Edição Jornal
31465
post-template-default,single,single-post,postid-31465,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Portugal é o país que mais arde na zona do Mediterrâneo

Portugal é o país que mais arde na zona do Mediterrâneo

Portugal é o país que mais arde na zona do Mediterrâneo, e só na última década teve quase o dobro dos incêndios entre seis países desta região e registou a maior área ardida. As conclusões constam no relatório “O Mediterrâneo arde”, da Associação Natureza Portugal e do Fundo Mundial para a Natureza, com base num estudo da WWF aos incêndios florestais em Portugal, Espanha, Itália, Grécia e Turquia.

Portugal é, de longe, o país mediterrânico que mais sofreu com incêndios florestais, com uma média de 3% da sua mancha florestal anualmente consumida pelas chamas.

O relatório da WWF indica que em Portugal ardem, em média todos os anos, quase 140 mil hectares, em mais de 22 mil incêndios.

Depois de Portugal, os países com mais incêndios na região do Mediterrâneo são a Espanha, com mais de 12 mil e a Grécia com mais de 9 mil fogos.

Os países menos afetados pelas chamas, e também com menos área ardida, são a França e a Turquia.

O relatório aponta que, apesar da tendência geral de queda no número de incêndios, e na área queimada, desde os anos 80 do século passado, há agora uma tendência considerada perigosa e a acontecer cada vez mais, que são os grandes incêndios florestais, que em Portugal são considerados os que queimam áreas superiores a 100 hectares.

Segundo a WWF, na última década, foram responsáveis por 68% do total de área ardida, apesar de representarem menos de um por cento do número de incêndios registados.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****