"Praga" do eucalipto é tema de debate em Santa Comba Dão - Edição Jornal
22724
post-template-default,single,single-post,postid-22724,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

“Praga” do eucalipto é tema de debate em Santa Comba Dão

“Praga” do eucalipto é tema de debate em Santa Comba Dão

O problema do aparecimento descontrolado de eucaliptos nos territórios afetados pelos incêndios é tema de debate esta quinta-feira, em Santa Comba Dão.

É uma organização conjunta dos ambientalistas da Quercus e do Município de Santa Comba Dão e o objetivo é debater o problema, procurar soluções e também desmistificar alguma situações, em particular, diz João Branco, da Quercus, “mostrar às pessoas que o eucalipto, efetivamente, nasce a partir de semente”.

O problema do nascimento descontrolado de eucalipto é, segundo a associação ambientalista “generalizado na área que ardeu em outubro” de 2017.

João Branco considera que, se é verdade que, depois dos incêndios, “os eucaliptos rebentam pela raiz e pelo tronco”, é igualmente facto que “uma grande quantidade germina a partir de sementes que já estão no solo ou que caem das cápsulas dos eucaliptos que entretanto se abriram” com o calor provocado pelas chamas.

São dezenas de milhares de plantas a nascer por hectare e, como o eucalipto tem um crescimento muito rápido, em dois ou três anos essas zonas vão estar impenetráveis e com uma carga de combustível muito grande, alerta o responsável da Quercus.

Neste debate em Santa Comba Dão vão estar vários especialistas na área, como Joaquim Sande Silva, da Superior Agrária de Coimbra, Hélder Viana, da Agrária de Viseu e Hélia Marchante da Universidade de Coimbra.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm