UGT de Viseu defende isenção de portagens na A25 durante obras no IP3 - Edição Jornal
33729
post-template-default,single,single-post,postid-33729,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

UGT de Viseu defende isenção de portagens na A25 durante obras no IP3

UGT de Viseu defende isenção de portagens na A25 durante obras no IP3

A UGT Viseu defende a isenção de pagamento de portagens na A 25, entre Mangualde e Albergaria, como alternativa aos automobilistas enquanto decorrem as obras no IP-3. Diz a UGT de Viseu que as obras no itinerário estão a deixar a ligação entre Viseu e Coimbra “demasiado lenta”.

A estimativa é de cerca de 15.000 veículos diariamente usam o IP3, lembra a UGT de Viseu e defende a necessidade de um troço alternativo que, segundo o sindicato, poderia ser o troço da A25 entre Mangualde e Albergaria, mas sem portagens. Seria, na perspectiva da UGT de Viseu, uma forma de “aliviar” o trânsito no IP3, facilitando a utilização da estrada para quem reside ou trabalha na zona, e também tornar mais fácil qualquer situação de emergência e socorro que obrigue à circulação no IP3.

Assim, a UGT Viseu deixa o apelo ao Governo que durante as obras de requalificação do IP3, suspenda as portagens na A 25 entre Mangualde e Albergaria-a-Velha.

*****