11 mil assinaram petição contra construção do Museu Salazar em Santa Comba Dão - Edição Jornal
36486
post-template-default,single,single-post,postid-36486,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

11 mil assinaram petição contra construção do Museu Salazar em Santa Comba Dão

11 mil assinaram petição contra construção do Museu Salazar em Santa Comba Dão

Uma petição contra a construção do Museu Salazar, promovida pela União de Resistentes Antifascistas Portugueses foi assinada por cerca de 11 mil pessoas e já entregue na Assembleia da República, o que obriga a que o tema seja agendado para discussão em plenário.

Em 2019, a Câmara de Santa Comba Dão anunciou a intenção de requalificar a Escola Cantina Salazar, com o objetivo de aí instalar o Centro Interpretativo do Estado Novo. Apesar da autarquia e dos promotores do projeto rejeitarem qualquer tipo de conotação política às ideologias fascistas de Salazar, a ideia tem merecido forte contestação pública, em particular por parte da União de Resistentes Antifascistas Portugueses que promoveu esta petição pública que pede à Assembleia da República “que tome medidas que impeçam a sua concretização”, e citam o n.º 4 do artigo 46.º da Constituição, que proíbe as organizações que perfilhem a ideologia fascista”.

António Oliveira Salazar nasceu no Vimieiro, freguesia do concelho de Santa Comba Dão, mas a criação de um espaço dedicado àquele período da história portuguesa está longe de ser pacífica.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.