23,9% das Farmácias de Viseu em Situação de Penhora e Insolvência - Edição Jornal
18052
post-template-default,single,single-post,postid-18052,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

23,9% das Farmácias de Viseu em Situação de Penhora e Insolvência

23,9% das Farmácias de Viseu em Situação de Penhora e Insolvência

A nível nacional, mais de um quinto das farmácias portuguesas, 21,4 por cento, entrou em 2018 na mesma situação, enfrentado processos de insolvência e penhora. No distrito de Viseu, 23,9 por cento das farmácias entra em 2018 numa situação de crise económica, sem garantias de sobrevivência.

Os números de farmácias em insolvência mais do que triplicou em cinco anos, passando de 241 em 2012 para 630 em 2017. Os números são avançados pela Associação Nacional de Farmácias e colocam Viseu no oitavo lugar desta lista negra.

A associação acrescenta, em comunicado, que “mais de um quinto das farmácias portuguesas entrou em 2018 em situação de crise económica, enfrentado processos de insolvência e penhora e sem garantias de sobrevivência”. Segundo a associação, 2017 agudizou uma crise no sector que já se sentia desde 2012 com 630 farmácias num universo de 2.943 em situação económica difícil, adiantam. Acrescentam ainda que há um aumento das situações de penhora das farmácias, que no ano passado foram 216.

De acordo com os dados, todo o país tem farmácias com ações de insolvência e penhora, sendo o distrito de Portalegre o que regista o maior número destas situações. No segundo lugar desta lista está a Guarda, seguida de Santarém, Setúbal, Lisboa, Faro, Beja e Viseu com cerca de um quarto das farmácias em situação de dificuldades financeiras.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.

Tags:
,