Almeida Henriques | Cerimónia de Tomada de Posse em Viseu C/ Vídeo - Edição Jornal
17433
post-template-default,single,single-post,postid-17433,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Almeida Henriques | Cerimónia de Tomada de Posse em Viseu C/ Vídeo

Almeida Henriques | Cerimónia de Tomada de Posse em Viseu C/ Vídeo

No passado dia 23 de outubro, na Cerimónia de Tomada de Posse, em Viseu, Almeida Henriques defendeu que o poder local é a única solução para combater o que classificou de “centralismo extremado e doentio do país”. No discurso de tomada de posse para um segundo mandato na presidência da autarquia, apontou como necessária uma nova e profunda reforma territorial do Estado.

Almeida Henriques considerou que se vive em Portugal um clima de “centralismo esclerosado e palaciano, inoperante e paralisante, incapaz de se reformar, mas sôfrego de poderes e de recursos”.

Ao longo da sua intervenção, o autarca de Viseu considerou que a prometida descentralização “foi posta pelo Governo em banho-maria” e considerou que o Governo avançou para o que classificou como “a maior centralização dos 30 anos de história dos fundos comunitários”.

Almeida Henriques reclamou para os municípios a devolução de um papel mais ativo, no modelo de gestão dos fundos regionais, como aconteceu nos primeiros quadros comunitários de apoio.

Almeida Henriques, candidato do PSD, venceu as eleições em Viseu com 51,74% dos votos e seis mandatos. O PS obteve 26,46% dos votos e conseguiu três mandatos.