Câmara de Viseu quer Museus Cheios em 2018 - Edição Jornal
18194
post-template-default,single,single-post,postid-18194,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Câmara de Viseu quer Museus Cheios em 2018

Câmara de Viseu quer Museus Cheios em 2018

A Câmara de Viseu quer museus cheios durante o ano de 2018, em que a cidade recebe o Europeade, o Festival Internacional de Folclore. Ambição do autarca, Almeida Henriques, manifestada durante a apresentação da programação do “Viseu Cidade Europeia do Folclore” para 2018.

Os objetivos definidos para o atual mandato autárquico são quatro: aumentar e diversificar a oferta museológica voltada para o património cultural e natural; incrementar a interação com a comunidade local, educativa e turística, assegurando um crescimento de visitantes; aumentar o envolvimento de artistas e criativos locais; reforçar o alinhamento estratégico com o marketing promocional da cidade, sublinhando este ano as temáticas da cultura tradicional popular e dos valores rurais e naturais.

Para 2018, o Município de Viseu diz que espera alcançar as 40 mil entradas nos seus seis museus, casos do Museu Almeida Moreira, a Coleção Arqueológica José Coelho, Quinta da Cruz, Casa da Ribeira, Museu do Quartzo e Museu do Linho de Várzea de Calde, aos quais junta o primeiro espaço de exposições do futuro Museu de História da Cidade. Em 2017, as entradas nos museus municipais de Viseu foram cerca de 35 mil. Para cativar visitantes, escolas e turistas, o Município apresentou para 2018 um programa com 20 novas exposições e 300 atividades para todos os públicos.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.