CDS defende obras na Escola Secundária de Castro Daire - Edição Jornal
18546
post-template-default,single,single-post,postid-18546,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

CDS defende obras na Escola Secundária de Castro Daire

CDS defende obras na Escola Secundária de Castro Daire

O Grupo parlamentar do CDS reclamou no parlamento obras de reabilitação e requalificação da Escola Secundária de Castro Daire.

No documento, que tem o deputado eleito por Viseu, Hélder Amaral, como primeiro subscritor, os deputados do CDS exigem que o Governo avance com a empreitada e divulgue quando será feita, além de garantir os necessários recursos financeiros.

Lembram que a Secundária de Castro Daire funciona desde o ano letivo de 1982-1983, e apontam o dedo ao estado de degradação das instalações, apelando a uma requalificação que classificam de “urgente”.

Com cerca de quinhentos alunos, a escola já teve uma lotação superior a mil estudantes, quando a lotação máxima prevista é de setecentos, acusam os centristas, e acrescentam que “o estado de degradação se agrava de dia para dia”.

Mais grave, consideram os deputados do CDS, é que as deficiências estruturais representam o que classificam de “perigo permanente para alunos, professores e pessoal não docente”. Os centristas dizem que, na Secundária de Castro Daire, “são evidentes e graves a degradação das coberturas dos pavilhões das salas de aula, com infiltrações de água, dos pavimentos, com buracos, e das paredes que apresentam fissuras”.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.