Concerto de Jorge Palma com o convidado especial João Pedro Pais na Expodemo'18 - Edição Jornal
21824
post-template-default,single,single-post,postid-21824,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Concerto de Jorge Palma com o convidado especial João Pedro Pais na Expodemo’18

Concerto de Jorge Palma com o convidado especial João Pedro Pais na Expodemo’18

Não é a primeira vez que se juntam em palco. Concertos com os dois (um convidando o outro) já aconteceram no Rock in Rio e nos coliseus de Lisboa e Porto, sempre com grande sucesso. Mas em Moimenta da Beira, na primeira noite da Expodemo, 14 de setembro, quando Jorge Palma subir ao palco principal do certame, a partir das 22h30, e convidar João Pedro Pais, será uma estreia na região, um dueto cheio de sentidos e sentimentos. O momento musical, imperdível, vai substituir o concerto de Carlos do Carmo, anulado por razões de saúde do fadista. A entrada é livre.

Jorge Palma dispensa apresentações. Com mais de 40 anos de carreira é um nome incontornável do panorama musical português. A sua obra contém canções amplamente transversais com temas como “Frágil”, “Deixa-me Rir”, “Dá-me Lume” ou “Encosta-te a mim”, que se tornaram hinos intemporais.

Compositor, poeta, intérprete e exímio pianista, o percurso de vida de Jorge Palma observa-se sempre a par da música. Tendo começado a aprender piano com seis anos de idade, mais tarde, correu a Europa de guitarra em punho tocando nas ruas de cidades como Paris e Copenhaga. Terminou o Curso Superior de Piano em 1990 e editou vários discos de originais, compondo êxitos, somando discos de ouro, tendo atingindo a marca da dupla platina com “Voo Nocturno”. Venceu o prémio José Afonso em 2002, e em 2008 e 2012 foi o vencedor do Globo de Ouro na categoria de melhor intérprete individual. O seu álbum “Com Todo o Respeito” foi ainda galardoado pela Sociedade Portuguesa de Autores com o prémio Pedro Osório.

O período mais recente da vida de Jorge Palma é marcado por um momento de grande atividade no qual se destacam projetos como “Juntos” em que partilha o palco com Sérgio Godinho, João Pedro Pais, Paulo Gonzo e ainda a celebração de discos históricos como “Bairro do Amor” e “Só”, tendo este último resultado na edição de “SÓ ao vivo” em 2017.

Desde os anos 70 que esgota salas um pouco por todo o país, desde as mais emblemáticas, até aos palcos mais intimistas, tendo também passado por festivais como o Meo Sudoeste, Super Bock Super Rock, Rock in Rio, Bons Sons, EDP Cool Jazz, entre outros.

João Pedro Pais é hoje um dos grandes fenómenos da música portuguesa dos últimos tempos. Poucos artistas a solo podem dizer que tiveram tanto impacto na sociedade logo no primeiro álbum. O cantor, criado na Casa Pia de Lisboa, tornou-se conhecido ao participar no programa Chuva de Estrelas, na SIC, onde obteve o segundo lugar interpretando a canção “Ao Passar Um Navio”, dos Delfins, e nunca pensou chegar tão longe.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm