COVID-19: TESTES EM LARES DA REGIÃO CENTRO ESTÃO A SER FEITOS POR UNIVERSIDADES E POR UMA EMPRESA - Edição Jornal
37712
post-template-default,single,single-post,postid-37712,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

COVID-19: TESTES EM LARES DA REGIÃO CENTRO ESTÃO A SER FEITOS POR UNIVERSIDADES E POR UMA EMPRESA

COVID-19: TESTES EM LARES DA REGIÃO CENTRO ESTÃO A SER FEITOS POR UNIVERSIDADES E POR UMA EMPRESA

Os testes para deteção do novo coronavírus nos lares de idosos da Região Centro vão ser feitos por universidades, politécnicos e uma empresa, anunciou o viseense  João Paulo Rebelo, que coordena na região Centro o combate à pandemia.

“A Universidade de Aveiro começou hoje a fazer testes, a Universidade de Coimbra vai começar muito brevemente e na Universidade da Beira Interior (Covilhã) e no Politécnico de Castelo Branco também há essa intenção”, referiu o secretário de Estado, no final da primeira reunião da Coordenação Regional do Centro do Estado de Emergência.

No distrito de Viseu, a ALS Life Sciences – que, no final de março começou a realizar testes laboratoriais para deteção do novo coronavírus, no âmbito de uma parceria com o Centro Hospitalar Tondela Viseu – vai reforçar a sua capacidade de resposta.

 “É possível que, muito rapidamente, haja disponibilidade para, em vez de 100 testes diários, estar a fazer 300”, avançou o secretário de Estado.

Na reunião de hoje, participaram representantes de vários organismos da Região Centro, como a Administração Regional de Saúde, Centros Distritais de Segurança Social e forças de segurança, alguns dos quais por videoconferência.

João Paulo Rebelo considerou que “as dores de cabeça da Região Centro não serão muito distintas das dores de cabeça das restantes regiões do país”.

“Estão a ser feitos testes e estão a chegar os equipamentos de proteção individual, mas foram sinalizadas necessidades por vários dos intervenientes”, contou.

Segundo o secretário de Estado, “o espírito foi de grande cooperação entre todos e foi saudada a possibilidade de agora poder haver uma maior articulação e coordenação das diferentes respostas do Estado”.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.