Deslizamento de terra junto ao Túnel do Coval próximo de Mortágua - Edição Jornal
18549
post-template-default,single,single-post,postid-18549,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Deslizamento de terra junto ao Túnel do Coval próximo de Mortágua

Deslizamento de terra junto ao Túnel do Coval próximo de Mortágua

A circulação na Linha da Beira Alta voltou a ser cortada às 08:00 de hoje devido a um novo deslizamento de terras junto ao túnel do Coval, próximo de Mortágua, onde no domingo um comboio de passageiros descarrilou, mas sem provocar feridos.

Segundo a Infraestruturas de Portugal, na altura em que se deu o novo deslizamento de terras não estava nenhum comboio a passar. Este novo corte na Linha da Beira Alta obrigou a CP a ativar o plano de transbordo de passageiros entre Santa Comba Dão e Mortágua.

O secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d’Oliveira Martins, garantiu que o troço da linha da Beira Alta, onde o comboio descarrilou no domingo, está já em obras e que os taludes estão também a sofrer obras que permitam a sua melhor consolidação, já que se encontram desprovidos de vegetação consumida pelos grandes incêndios no Verão.

O secretário de Estado garantiu, a partir de 2019, no âmbito do plano de investimentos Ferrovia 2020, a linha da beira alta terá obras importantes.

O presidente da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, Rogério Abrantes, já veio exigir o arranque em definitivo da requalificação da Linha da Beira Alta, um investimento, diz, previsto, “mas nunca mais arranca”.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm.