"Engolir Sapos" em estreia no Teatro Viriato, em Viseu - Edição Jornal
26510
post-template-default,single,single-post,postid-26510,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

“Engolir Sapos” em estreia no Teatro Viriato, em Viseu

“Engolir Sapos” em estreia no Teatro Viriato, em Viseu

“Engolir Sapos” é o espetáculo de Fernando Giestas e Rafaela Santos, da Amarelo Silvestre, que vai estar em estreia no Teatro Viriato, em Viseu, na próxima sexta-feira e sábado (15 e 16 de Março), pelas 21h30. A 23 de Março (sábado) estará também no Centro de Arte de Ovar, pelas 22h00.

“Engolir Sapos” é uma reflexão artística sobre preconceitos e sapos de loiça.

Em Portugal, existem entre 40 e 60 mil ciganos, uma minoria entres as maiorias. Existem entre centenas e milhares de sapos de loiça em estabelecimentos comerciais, uma minoria entre as maiorias dos produtos expostos. Os sapos existem para decorar. E para afastar.

Quem somos nós que construímos sapos, quem somos nós que expomos sapos, quem somos nós que tememos sapos, quem somos nós que engolimos sapos? Estas são algumas das perguntas que serão levantadas em “Engolir Sapos”, espetáculo que foi desenvolvido ao longo de dois anos, em diferentes residências artísticas e em diálogo com diferentes associações e elementos da comunidade cigana.

“Engolir Sapos” é uma co-produção Amarelo Silvestre e Teatro Viriato, Centro de Arte de Ovar e Teatro Municipal do Porto.

Ficha artística e técnica:

“Engolir Sapos”

Encenação Rafaela Santos

Dramaturgia Fernando Giestas

Interpretação Amélia Giestas e Ricardo Vaz Trindade

Música Ricardo Baptista

Desenho de Luz Jorge Ribeiro

Cenografia e Figurinos Henrique Ralheta

Apoio ao Movimento Leonor Barata

Apoio à Dramaturgia Jorge Palinhos

Assistente de Cenografia Carolina Reis

Registo Vídeo Eva Ângelo

Imagem do Projecto Rosário Pinheiro

Produção Executiva Susana Rocha

Gestão Administrativa Paula Trepado

Criação Amarelo Silvestre

Co-produção Amarelo Silvestre, Teatro Viriato, Centro de Arte de Ovar e Teatro Municipal do Porto

Residências Artísticas Teatro Viriato, As Casas do Visconde, Centro de Arte de Ovar, Citemor, Projecto 23 Milhas e ZDB

Parcerias Olho Vivo/Viseu e As Casas do Visconde

Apoio República Portuguesa – Cultura/Direção-Geral das Artes

Duração 60 minutos

Classificação etária M/12

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm

*****