PS Tondela quer José António Jesus afastado da presidência da autarquia - Edição Jornal
35013
post-template-default,single,single-post,postid-35013,single-format-standard,bridge-core-1.0.5,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

PS Tondela quer José António Jesus afastado da presidência da autarquia

PS Tondela quer José António Jesus afastado da presidência da autarquia

 O PS de Tondela defende que o presidente e o vice-presidente da Câmara “não reúnem condições para continuarem em funções”, depois de terem sido acusados pelo Ministério Público (MP) dos crimes de peculato e falsificação de documento.

Em comunicado, a Comissão Política do PS de Tondela considera que os dois autarcas deveriam tomar a decisão de se afastarem dos cargos que ocupam na autarquia.

Para os socialistas, depois do Ministério Público ter acusado os dois autarcas, imputando ao presidente, José António Jesus, a prática de um crime de peculato e de dois crimes de falsificação de documento e ao vice-presidente, Pedro Adão, de um crime de peculato e de um crime de falsificação de documento, que terão ocorrido entre 2010 a 2017, a decisão correta seria o pedido de renúncia, lembrando que a acusação pede a perda de mandato para os dois arguidos.

Em causa, recorde-se, estão ajudas de custo por alegadas deslocações efetuadas em viaturas próprias, quando as deslocações em causa tinham sido feitas em viaturas da autarquia.

No início do ano, durante uma reunião de Câmara, os autarcas anunciaram que já tinham devolvido o dinheiro que terão recebido indevidamente: José António Jesus entregou 11.099,76 euros e Pedro Adão 10.144,68 euros.

Esta e outras notícias para ouvir em desenvolvimento na Estação Diária – 96.8 FM ou em www.968.fm